Resultado da pesquisa (4)

Termo utilizado na pesquisa Pozzi C.R.

#1 - Intramammary treatment with gentamicin in lactating cows with clinical and subclinical mastitis, 36(4):283-289

Abstract in English:

ABSTRACT.- Martins T., Rosa A.F., Castelani L., Miranda M.S. de, Arcaro J.R.P. & Pozzi C.R. 2016. Intramammary treatment with gentamicin in lactating cows with clinical and subclinical mastitis. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(4):283-289. Centro Apta Bovinos de Leite, Instituto de Zootecnia, Rua Heitor Penteado 56, Centro, Nova Odessa, SP 13460-000, Brazil. E-mail: martins_thamires@hotmail.com The study evaluated the microbiological profile of milk samples collected before and after mastitis treatment with gentamicin and investigated biofilms production and antimicrobial susceptibility of Staphylococcus spp. isolated. The presence of gentamicin residues in milk after the recommended withdrawal period was also evaluated. Antimicrobial residues were analyzed by Delvotest® SP NT over a period of 12 days beginning after 24 hours the last gentamicin application. Some of Staphylococcus spp. isolates were biofilm producers (19.05%). Staphylococcus spp. showed high levels of resistance to neomycin (16.95%), penicillin G (10.17%), and ampicillin (10.17%). Multidrug resistance to all antibiotics tested was observed in 1.69% of the Staphylococcus spp. isolates. Among 1440 mammary quarter milk samples 24.95% presented gentamicin residues after the withdrawal period. Gentamicin residues were also detected in 3.8% of samples from calibrated glass recorder jar (n=383) 4.1 days after treatment. The indiscriminate use of antibiotics may lead to the emergence of multidrug-resistant strains as well as increasing the risk of presence of residues of these drugs in milk. These problems affect the milk quality and may become a public health problem.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Martins T., Rosa A.F., Castelani L., Miranda M.S. de, Arcaro J.R.P. & Pozzi C.R. 2016. Intramammary treatment with gentamicin in lactating cows with clinical and subclinical mastitis. [Tratamento intramamário com gentamicina em vacas com mastite clínica e subclínica durante a lactação.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(4):283-289. Centro Apta Bovinos de Leite, Instituto de Zootecnia, Rua Heitor Penteado 56, Centro, Nova Odessa, SP 13460-000, Brazil. E-mail: martins_thamires@hotmail.com Este estudo avaliou o perfil microbiológico de amostras de leite colhidas antes e após o tratamento da mastite com gentamicina e investigou a produção de biofilmes e o perfil de susceptibilidade antimicrobiana de Staphylococcus spp. isolados. Avaliou-se também a presença de resíduos de gentamicina no leite após o período de carência recomendado. Resíduos de antimicrobianos foram analisados por Delvotest® SP NT ao longo de um período de 12 dias, iniciando 24 horas após a última aplicação de gentamicina. Alguns dos Staphylococcus spp. isolados apresentaram produção de biofilmes (19,05%). Staphylococcus spp. apresentaram elevados níveis de resistência à neomicina (16,95%), penicilina G (10,17%), e ampicilina (10.17%). Multirresistência a todos os antibióticos testados foi observada em 1,69% dos Staphylococcus spp. isolados. Do total de 1440 amostras de leite de quartos mamários, 24,95% apresentaram resíduos de gentamicina após o período de carência. Resíduos de gentamicina também foram detectados em 3,8% das amostras de balões volumétricos coletores de leite (n= 383), 4,1 dias após o tratamento. O uso indiscriminado de antibióticos pode levar ao aparecimento de estirpes multirresistentes bem como o aumento do risco da presença de resíduos destas drogas no leite. Esses problemas afetam a qualidade do leite e podem tornar-se um problema de saúde pública.


#2 - Study on the occurrence of fungi and aflatoxina B1 in the diet of dairy cattle in São Paulo, Brazil, 35(1): 23-28

Abstract in English:

ABSTRACT.- Motta T.P., Frizzarin A., Martins T., Miranda M.S., Arcaro J.R.P., Ambrósio L.A. & Pozzi C.R. 2015. [Study on the occurrence of fungi and aflatoxina B1 in the diet of dairy cattle in São Paulo, Brazil.] Estudo sobre a ocorrência de fungos e aflatoxina B1 na dieta de bovinos leiteiros em São Paulo. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(1): 23-28. Centro Apta Bovinos de Leite, Instituto de Zootecnia, Rua Heitor Penteado 56, Nova Odessa, SP 13460-000, Brazil. E-mail: pozzi@iz.sp.gov.br The quality of the diet offered to lactating cows is a concern to health officials the possibility of detecting mycotoxins harmful to human and animal health. The objectives were to evaluate the profile of mycoflora, determine the water activity (Aw) and the natural occurrence of aflatoxin B1 (AFB1) in diets offered to lactating cows from dairy farms in the state of São Paulo, Brazil. Samples of the diets were taken directly from the troughs batch of 15 cows, on two consecutive days at intervals of 24 hours and every 15 days with a period of 45 sampling days per farm. Purification and determination of AFB1 were performed on immunoaffinity columns and High Performance Liquid Chromatography (HPLC). The study of mycobiota present in samples of diets (288) revealed that yeast cells were predominant in all diets (83.97 to 99.98%). 15 genera were isolated from filamentous fungi, with Aspergillus spp (20.09%), Fusarium spp. (14.16%) and Penicillium spp. (11.48%) the most prevalent. The counts of colony forming units per gram of food (UFC.g-1) ranged from 102 a1011. The water activity of the samples ranged from 0.91 to 0.98. We have detected the presence of AFB1 in 31.44% of samples with levels between 1.68 a 194.51µg.kg-1. Measures of good production, storage and use should be taken to reduce the occurrence of aflatoxin B1 in the diet offered to lactating cow.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Motta T.P., Frizzarin A., Martins T., Miranda M.S., Arcaro J.R.P., Ambrósio L.A. & Pozzi C.R. 2015. [Study on the occurrence of fungi and aflatoxina B1 in the diet of dairy cattle in São Paulo, Brazil.] Estudo sobre a ocorrência de fungos e aflatoxina B1 na dieta de bovinos leiteiros em São Paulo. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(1): 23-28. Centro Apta Bovinos de Leite, Instituto de Zootecnia, Rua Heitor Penteado 56, Nova Odessa, SP 13460-000, Brazil. E-mail: pozzi@iz.sp.gov.br A qualidade da dieta ofertada às vacas em lactação é uma preocupação dos agentes de saúde devido à possibilidade da detecção de micotoxinas prejudiciais a saúde humana e animal. Os objetivos do trabalho foram avaliar o perfil da micobiota, determinar a atividade de água (Aa) e a ocorrência natural de aflatoxina B1 (AFB1) em dietas ofertadas a vacas em lactação de fazendas leiteiras no estado de São Paulo, Brasil. As amostragens das dietas foram realizadas diretamente dos cochos de lote de 15 vacas, em dois dias consecutivos com intervalos de 24h e a cada 15 dias, perfazendo um período de 45 dias de amostragens por fazenda. A purificação e determinação de AFB1 foram realizadas em colunas de imunoafinidade e Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE). O estudo da micobiota presente nas amostras das dietas (288) revelou que as leveduras foram predominantes em todas as dietas (83,97 a 99,98%). Foram isolados 15 gêneros de fungos filamentosos, com os gêneros Aspergillus spp (20,09%), Fusarium spp (14,16%) e Penicillium spp (11,48%) os mais prevalentes. As contagens de Unidades Formadoras de Colônias por grama de alimento (UFC. g-1) variaram de 102 a 1011. A atividade de água das amostras variou entre 0,91 a 0,98. Foi detectada a presença de AFB1 em 31,44% das amostras com teores entre 1,68 a 194,51µg.kg-1. Medidas de boas práticas de produção, estocagem e utilização devem ser tomadas para diminuir a ocorrência de AFB1 nas dietas ofertadas às vacas em lactação.


#3 - Effects of environmental modification on mastitis occurrence and hormonal changes in Holstein cows, 33(6):826-830

Abstract in English:

ABSTRACT.- Arcaro J.R.P., Matarazzo S.V., Pozzi C.R., Arcaro Junior I., Toledo L.M., Costa E.O. & Miranda M.S. 2013. Effects of environmental modification on mastitis occurrence and hormonal changes in Holstein cows. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(6):826-830. Departamento de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Estadual de Santa Cruz, Rodovia Jorge Amado Km 16, Ilhéus, BA, 45662-900 Brazil. E-mail: svmatarazzo@uesc.br The purpose of this research was to evaluate the effects of evaporative cooling in freestall on mastitis occurrence, milk production, and composition, as well as cortisol, T3 (triiodothyronine), and T4 (thyroxin) levels in lactating dairy cows. Twenty-eight multiparous cows averaging 70 ± 10 day postpartum were used in four treatments from January to March 2003. The treatments were: Day (cooling from 7:00 a.m. to 7:00 p.m.); Night (cooling from 7:00 p.m. to 7:00 a.m.); 24-hour (cooling 24-hour); and Control (no cooling). Wired cup test was used for clinical mastitis diagnosis, and the California Mastitis Test (CMT) was used to identify subclinical mastitis. Blood and milk samples were taken weekly for microbiological and hormonal analyses. The cortisol levels were higher than normal values in all treatment groups, suggesting stress conditions, but T3 and T4 levels remained normal in all groups. The occurrence of subclinical mastitis was lower in Day and Night groups than in Control and 24-hour groups. Regarding the microbiological analyses, in all groups the isolation of Corynebacterium sp. from milk samples increased while negative coagulase staphylococci (CNS) declined as etiological agents of subclinical mastitis. However, in Day and 24-hour groups, coagulase positive staphylococci (CPS) increased mainly Staphylococcus aureus (49.8% and 47.7% respectively). The Night group showed a decrease in subclinical mastitis occurrences. Our data indicate that all animals subjected to treatments presented high levels of cortisol, indicating a stress condition. The Night treatment presented a reduction in microbial isolation, suggesting a reduced susceptibility to mastitis.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Arcaro J.R.P., Matarazzo S.V., Pozzi C.R., Arcaro Junior I., Toledo L.M., Costa E.O. & Miranda M.S. 2013. Effects of environmental modification on mastitis occurrence and hormonal changes in Holstein cows. [Efeito da modificação ambiental sobre a ocorrência de mastite e alterações hormonais de vacas Holandesas.] Pesquisa Veterinária Brasileira 33(6):826-830. Departamento de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Estadual de Santa Cruz, Rodovia Jorge Amado Km 16, Ilhéus, BA, 45662-900 Brazil. E-mail: svmatarazzo@uesc.br O trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência do sistema de resfriamento adiabático evaporativo, acionado em diferentes horários, em instalação do tipo freestall e seus reflexos sobre a ocorrência de mastite, produção e composição do leite e respostas hormonais de vacas em lactação. Foram utilizadas 28 vacas em lactação (70±10 dias), multíparas, das raças Holandesa Preta e Branca e Pardo Suíça, com produção média diária de 23±2,3 kg leite/dia. O período experimental de 56 dias teve início em 20 de janeiro de 2003. Os tratamentos foram: Controle (sem resfriamento); Dia (resfriamento 7 as 19 h); Noite (resfriamento 19 às 7 h) e 24 horas (resfriamento durante 24 h). A temperatura de bulbo seco (TBS), umidade relativa do ar (UR) e a temperatura de globo negro (TGN) foram mensuradas ao longo das 24 horas. A ordenha foi realizada às 7 h e 19 h. Amostragens semanais de leite e sangue foram realizadas para análise da composição do leite (gordura, proteína, lactose e contagem de células somáticas) e determinações hormonais de cortisol, tiroxina (T4) e triiodotironina (T3). Para avaliação da ocorrência de mastite clínica e subclínica foram feitos exames semanais de TAMIS (caneca de fundo preto) e California Mastitis Test (CMT). Foram colhidas amostras de leite de todos os quartos para identificação microbiológica dos agentes causais da mastite. O tratamento Dia diminuiu (P<0,05) a temperatura do freestall em 5,3°C às 12h e em 3,5°C às 14h em relação ao grupo Controle. A umidade relativa esteve elevada (P<0,05) às 7h no tratamento Noite e às 12h, 14h e 21h no tratamento Dia. Os maiores valores de ITU foram registrados no tratamento Noite às 12h, 14h e 21h. Não foram observadas diferenças entre os tratamentos (P>0,05) para a produção e composição do leite. Nos animais do tratamento Os níveis de cortisol mostraram-se acima (P<0,05) dos níveis normais em todos os tratamentos. Já os teores de T3 e T4 estiveram dentro da faixa de normalidade. Na fase pré-experimental a maior frequência de isolamento bacteriano foi para Staphylococcus coagulase negativa. No tratamento noite e dia, houve uma diminuição na proporção de casos positivos de mastite subclínica da fase pré-experimental em relação à última semana da fase experimental. Na última semana da fase experimental houve uma diminuição de Staphylococcus coagulase negativa e aumento da ocorrência de Corynebacterium sp.


#4 - Effect of a management system on grazing behaviour, ponderal growth and parasitie infestation of Suffolk ewes

Abstract in English:

Grazing behaviour, ponderal growth and level of parasitic infestation were studied in Suffolk breed sheep, from 1994 to 1995, in Nova Odessa, São Paulo. Two management systems were compared: restricted grazing, where the animals were released to the pastures at 9:50am and confined at 5:30pm, and 24 hour grazing, where the animals were maintained all the time in the paddocks, but with access to shelters. Thirty-four adult ewes were used in the summer period (17 under restricted grazing and 17 full-time grazing), and 42 ewes in the winter period (21 with restricted grazing and 21 full-time grazing). Also, for both seasons, 12 traceranimals, six in each grazing system, were used to obtain worm counts from their digestive tracts. For three consecutive days, grazing behaviour, that is, whether grazing or not, was observed in January/February (summer) and July/August (winter) at 30 minute intervals from 7:00am to 5:30pm, also whether the animals stayed in the sun or shade, irrespective of whether they were grazing or not. The level of parasitic infestation was evaluated under each system by eggs per gram countings (EPG) of the herd and the traceranimals, as well as by larvae count. It was concluded that restriction of grazing time by itself does not provide any effective control of parasitic infestation in sheep, however a better control was obtained in the summer period. Restricted grazing time was compensated by the greater activity of the animals during the hotter hours of the day, however, this behaviour affected the animal performance, resulting in lower weight gains. Greater forage availability in relation to estimated consumption may explain the similarity between the grazing times observed in both management systems, either in the summer or in the winter.

Abstract in Portuguese:

Foi estudado o comportamento em pastejo, o desempenho ponderal e o nível de infestação parasitária em ovelhas da raça Suffolk, no período de 1994 a 1995, em Nova Odessa, SP. Comparou-se dois sistemas de manejo: pastejo restrito, onde os animais foram soltos às 9:50h e presos às 17:30h e pastejo em período integral, no qual os animais não eram recolhidos, tendo a disposição abrigo para passarem a noite. Foram utilizadas 34 fêmeas adultas no verão (17 em pastejo livre e 17 em pastejo restrito) e 42 fêmeas adultas no inverno (21 em pastejo livre e 21 em pastejo restrito). Trabalhou-se ainda com 12 animais traçadores em cada estação do ano, sendo metade em cada sistema de manejo visando a contagem de nematódeos no trato digestivo dos animais. Durante 3 dias consecutivos nos meses de janeiro/fevereiro (verão) e julho/agosto (inverno) estudou-se, através da observação dos animais, a cada 30 minutos entre as 7:00 e 17:30h, o hábito de pastejo (pastando ou não; na sombra ou no sol). Acompanhou-se o nível de infestação parasitária dos animais em cada sistema, pela contagem do OPG do rebanho e dos traçadores e nematódeos recuperados nos traçadores. Concluiu-se que a restrição do horário de pastejo isoladamente não propiciou um controle efetivo da infestação parasitária nos animais mostrando. A restrição do tempo de pastejo é compensada pela maior atividade dos animais nas horas mais quentes do dia, todavia este comportamento afetou o desempenho, resultando em menor ganho de peso. A maior disponibilidade de forragem, em relação ao consumo estimado, pode explicar a similaridade entre os tempos de pastejo verificados nos dois sistemas de manejo, tanto no verão como no inverno.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV
-->